Skip to main content
Tipos de programadores sentados em uma mesa

De qual tipo de programador sua empresa precisa?

Contratar pessoas desenvolvedoras é uma necessidade recorrente no mercado atual. Diante dessa demanda, o primeiro passo para qualquer empresa é identificar o tipo de programador do qual precisa.

Como a área de programação é ampla, a carreira de programador pode seguir direções variadas. Conhecê-las é fundamental para entender se os caminhos do profissional e da empresa convergem.

Além disso, a disputa pelos melhores DEVs é acirrada. Eles estão na mira de diferentes negócios, especializados ou não em tecnologia, pois o cenário digital exige novas soluções de TI de todos os players.

Neste artigo, vamos ajudar você a definir o tipo de programador que está procurando. Começaremos pelo básico: o que um programador pode fazer pela sua empresa? Ou melhor dizendo…

O que faz um programador?

O que um programador pode fazer pela sua empresa.
Entender o tipo de programador ideal para sua empresa é fundamental.

Programadores ou pessoas desenvolvedoras são profissionais que atuam em desenvolvimento de software, criando soluções tecnológicas que possibilitam o uso de computadores, celulares e máquinas ou sistemas complexos de dados.

Eles podem ocupar posições variadas, como a de analista de sistemas, engenheiro de software ou cientista de dados. De modo geral, apresentam-se como desenvolvedores ou DEVs, simplesmente.

Esta última nomenclatura costuma ser usada para identificar o tipo de programador, com base na linguagem, tecnologia ou área de sua expertise. DEV Java e DEV Full-Stack são alguns exemplos frequentes.

Se sua empresa está no ramo de Tecnologia da Informação, nada disso deve ser novidade. Caso contrário, você pode estar se perguntando: por que contratar um programador?

Pessoas desenvolvedoras são indispensáveis a tecnologias amplamente difundidas. Seu trabalho está nos sites, aplicativos, aparelhos do dia a dia e plataformas de venda online, por exemplo.

Dependendo do produto ou serviço que se queira oferecer, só será possível apresentar um portfólio e efetuar vendas por meio de soluções tecnológicas que envolvam programação.

É por isso que uma empresa pode precisar de um programador mesmo que seu core business não esteja relacionado à área de tecnologia. Isso ajuda a explicar ainda por que esses profissionais são tão disputados.

As principais áreas de programação

O tipo de programador ideal para sua empresa pode estar em diferentes segmentos do mercado. Uma vez identificada a demanda, é preciso saber onde buscar um profissional.

As áreas de atuação em programação são variadas, bem como as formas de distingui-las. Uma das mais comuns, baseada na finalidade do trabalho, elenca três principais caminhos para uma carreira de desenvolvedor:

  • Programação Desktop: desenvolvimento de programas para um computador ou uma rede específica, funcionando localmente.
  • Programação Web: desenvolvimento de sites e sistemas executáveis na internet, portanto acessíveis a partir de diferentes lugares.
  • Programação Mobile: desenvolvimento de apps e soluções para dispositivos móveis, como celulares (smartphones) e tablets.

Essas são as áreas mais conhecidas, mas há outras, como desenvolvimento de jogos (para desktop, web e/ou mobile), ciência de dados (data science) e segurança da informação.

A finalidade da atividade de programação contribui para determinar o tipo de programador. Mas essa definição valoriza especialmente o papel que ele ocupa no processo, como veremos a seguir.

Seja qual for a área, as linguagens de programação e tecnologias que o DEV domina fazem a diferença. C#, Java, JavaScript, PHP, Python, Node.js e React estão entre as mais procuradas.

Saiba mais no nosso Dicionário de TI.

Tipos de programadores: Back-End, Front-End e Full-Stack

Agora que você conhece as principais áreas de atuação, fica mais fácil compreender cada tipo de programador.

A distinção mais usual destaca pessoas desenvolvedoras em três categorias: Back-End, Front-End e Full-Stack. Essas nomenclaturas aparecem com frequência em anúncios de oportunidades em TI.

Tal classificação leva em conta as etapas de desenvolvimento que um profissional está apto a assumir, descritas na sequência:

Tipo de Programador ou Desenvolvedor: Front-End

O DEV Front-End atua na modelagem da interface de um software. Na prática, essa pessoa constrói aquilo com que o usuário terá interação direta, buscando proporcionar uma experiência intuitiva e agradável.

É o trabalho de Front-End que determina a identidade visual de um site ou aplicativo, por exemplo. Isso faz desse tipo de programador um bom candidato para posições de desenvolvedor web.

Além de dominar determinadas linguagens, o programador Front-End deve articular bibliotecas de dados e frameworks com códigos que facilitam a criação de um software.

Pela natureza de sua atividade, é importante que tenha noções gerais sobre:

  • Design, sendo capaz de operar programas como Photoshop, Illustrator ou Corel Draw;
  • UX (User Experience), compreendendo os fatores que facilitam a experiência do usuário;
  • Arquitetura de software e da informação, aplicando tecnologias de forma lógica e inteligível;
  • Criação de sites, blogs e apps, dominando conceitos sobre HTML, CSS, JavaScript e WordPress, por exemplo.

Front-end developer: o que faz e como recrutar os melhores

Tipo de Programador ou Desenvolvedor: Back-End

Enquanto o tipo de desenvolvedor Front-End se dedica a construir a parte mais evidente para o usuário, o DEV Back-End se debruça sobre os processos internos, ou seja, tudo que está por trás da aplicação.

Veja um exemplo prático: é o trabalho de Back-End que garante, ao acessar um site, o fluxo de informações por meio do qual o navegador exibe um conteúdo.

Essa tarefa é para quem entende muito bem o funcionamento dos servidores e bancos de dados. Um erro nessa função pode custar caro, colocando em xeque a integridade dos códigos.

Entre as atividades do programador Back-End, estão a aplicação de regras de negócio e o estabelecimento de conexões entre sistemas e dados para determinar uma funcionalidade.

Estes são alguns dos conhecimentos valorizados na área de Back-End:

  • Linguagens de programação e tecnologias como C#, Python, PHP, Java e Swift;
  • Administração de bancos de dados e gerenciamento de servidores;
  • Práticas de acesso e segurança de informações, especialmente o processo de codificação;
  • Publicação de aplicações, conhecendo serviços como Azure e AWS.

Tipo de Programador ou Desenvolvedor: Full-Stack

É o tipo de programador cujo trabalho atinge o maior nível de complexidade. No entanto, é o mais fácil de explicar quando já se conhecem os outros tipos.

O tipo de desenvolvedor Full-Stack tem o perfil mais completo da área, pois combina as habilidades dos tipos de desenvolvedor Front-End e Back-End. Assim, é capaz de executar todas as etapas do desenvolvimento de um software, do início ao fim.

Essa é uma das posições mais almejadas, pois garante as melhores ofertas do mercado de programação. Por outro lado, exige conhecimentos avançados, num patamar que poucos profissionais conseguem atingir.

Banner com link para contratar programador de acordo com o tipo.

Perfil comportamental nos tipos de programadores

Sabemos que o domínio técnico é fundamental para qualquer tipo de programador. Mas são os seus traços comportamentais que determinam se há ou não aderência aos valores e práticas de uma empresa.

Em um processo de recrutamento e seleção de programadores, é essencial investigar a forma como os candidatos gostam de trabalhar. Etapas práticas e testes psicológicos são excelentes para isso.

Conheças as soft-skills mais requisitadas do mercado

Não há como mapear todos os perfis existentes, mas alguns se observam com mais frequência. Estes são bons  exemplos, nomeados de um jeito descontraído:

  • O caçador de desafios: é aficionado por resolver problemas complexos, dos quais muitos fogem. Tem capacidade analítica acima da média, mas seu olhar apurado tende a complicar coisas simples.
  • O colecionador de tarefas: seu objetivo é concluir a maior quantidade de demandas no menor tempo possível. É ágil e não cede à pressão, mas a pressa pode fazê-lo escorregar na qualidade, exigindo revisões.
  • O escritor de códigos: compreende como ninguém que programar é um exercício de linguagem. Perfeccionista, lapida o trabalho como uma obra de arte, o que resulta em entregas excelentes, mas com prazos estendidos.
  • O explorador de soluções: é curioso e está sempre em busca de novas saídas para caminhos habituais. Tem criatividade de sobra, mas perde o foco com facilidade e requer estímulos constantes.
  • O programador programado: planeja, nos mínimos detalhes, cada passo necessário para executar uma tarefa. Seu espírito metódico garante entregas com começo, meio e fim, mas falta flexibilidade diante de imprevistos.

Ao recrutar e selecionar um programador, combine os traços exibidos no processo à rotina da empresa e avalie se “deu match”.

Considere também os planos de carreira para quem vai ocupar a vaga em aberto. Lembre-se: o caminho para uma posição de liderança começa numa cadeira júnior e é papel da empresa desenvolver seus talentos.

Tipos de desenvolvedores por cargos de TI

Partindo de outra perspectiva, também é possível elencar alguns tipos de desenvolvedores de acordo com os seus cargos dentro da área de TI e da empresa.

Isso não impede um profissional de fazer mais de uma função dentro de um projeto, mas se o objetivo é expandir e escalar a sua aplicação, é importante considerar uma estrutura parecida com essa. Vamos lá:

  • Arquiteto de sistemas: é um profissional mais qualificado que está envolvido mais com questões estratégicas do que técnicas de uma operação. Garantindo que o projeto está de acordo com o planejamento e as melhores práticas do setor. É comparado a um engenheiro civil na construção de um imóvel.
  • Analista de testes: Como o nome já diz, é responsável pela formulação e aplicação de um plano de testes recorrentes no que está sendo desenvolvido, o que garantirá uma entrega de qualidade do sistema.
  • Analista de segurança: Além do desenvolvimento do sistema como um todo, é necessário investir tempo, dinheiro e esforços na segurança da aplicação/sistema. Sem segurança, qualquer invasor, seja ele humano ou programa, terão acesso livre à todos os códigos e o poderão fazer alterações livremente.
  • Analista de sistemas: É o termo mais adequado para pessoa desenvolvedora/programadora. É comumente responsável por toda a parte operacional de criação de códigos, implementação de novas features, gerenciamento de banco de dados e análises da aplicação.

Com certeza existem outras funções dentro de um time de desenvolvimento mais robusto, por exemplo: Tech Leads, engenheiro de softwares/dados, CTO, DevOps e etc, mas não vêm ao caso no momento.

Como encontrar o programador ideal para sua empresa?

Se você aplicar as dicas reunidas neste artigo, certamente terá mais sucesso no recrutamento e seleção de pessoas desenvolvedoras.

Mas saiba: há hoje profissionais focados em conectar empresas aos melhores talentos tech do mercado. É o caso dos especialistas da GeekHunter.

Com acesso a uma base de candidatos pré-validados e engajados, eles encontram profissionais do tipo desejado pelo cliente logo no início do processo seletivo, levando a contratações bem-sucedidas.

Os especialistas da Geek acompanham todas as etapas. Juntamente com a tecnologia de recomendação exclusiva da Geekhunter, convidam os candidatos para entrevistas e o retorno é impressionante: 97% respondem em até 24 horas.

Em média, bastam 5 entrevistas e 14 dias para contratar um profissional de tecnologia com a GeekHunter. Isso já aconteceu com clientes como Amazon, Zup, Guiabolso e Mercado Livre.

Se você quer contratar profissionais tech com agilidade e segurança, conheça os serviços da GeekHunter. Ela, sim, conhece o tipo de talento perfeito para a sua empresa.

Banner com link para encontrar o programador ideal.
Compartilhar

Redação GeekHunter

Artigos escritos pela equipe de conteúdo da GeekHunter.