Skip to main content

Turnover em TI: como reduzir a rotatividade de desenvolvedores da sua empresa

Nos últimos anos, reduzir o turnover em TI tem se tornado um desafio para muitas empresas – até mesmo para as gigantes do segmento, como a Amazon, Google e Microsoft.

Para se ter uma ideia, um estudo da Hays Executive mostrou que a rotatividade de colaboradores na área é uma das mais altas do mercado, principalmente devido à crescente demanda por profissionais de programação e desenvolvimento.

O fato é que, quando estão altos, os índices de turnover trazem um impacto significativo para as empresas, afinal, eles possuem uma ligação direta com a queda na produtividade dos colaboradores.

Neste contexto, é fundamental que o RH e os gestores de pessoas adotem as melhores práticas para evitar que o número de rotatividade alcance patamares elevados.  

Se você quer ficar por dentro delas, então chegou ao lugar certo. Confira, a seguir, as dicas que preparamos para ajudar você a reduzir o turnover de TI da sua empresa e, assim, construir um time de alta performance.

Boa leitura! ☺ 

Primeiramente, o que é turnover?

Se o seu objetivo é melhorar a retenção de talentos da sua empresa, o primeiro passo é dominar um dos conceitos mais importantes para quem trabalha com o RH e gestão de pessoas: o turnover.

Para quem não conhece, o termo se refere à taxa de rotatividade de funcionários de uma empresa e mede, especificamente, o número de colaboradores que saem de uma organização durante um período de tempo.

Trata-se de um índice muito importante de ser acompanhado, pois, no geral, o turnover não sai nada barato para as empresas. 

Além dos gastos envolvidos no desligamento do profissional, contratar um novo colaborador chega a custar até 30% a mais do que retê-lo por meio de ações de engajamento.

Por que ficar de olho no turnover em TI?

Como dissemos anteriormente, a rotatividade de pessoas é um processo bastante custoso para as empresas. Mas esse não é o único ponto de atenção que o assunto traz.

As altas taxas de turnover também devem ser encaradas como um sintoma de que a empresa não está agradando as pessoas que fazem parte dela. No longo prazo, isso pode causar impactos catastróficos para a imagem da organização enquanto marca empregadora.

Além disso, um turnover alto também afeta o desempenho da equipe de forma geral. E um desempenho mais baixo consequentemente gera perda de dinheiro e estagnação dos negócios.

Vale lembrar que, em suma, existem basicamente dois tipos de turnover em TI:

  • Turnover voluntário: quando as demissões partem da empresa. Geralmente, indica falhas no processo de recrutamento e seleção;
  • Turnover involuntário: quando as demissões partem do profissional. Este caso indica falha na retenção de talentos, que leva à insatisfação e à falta de motivação.

Principais causas do turnover em TI

Lembra quando dissemos que a rotatividade de pessoas em TI é uma das mais altas do mercado? Pois é: estima-se que as taxas de turnover na área chegam a 13%.

Mais precisamente, pessoas em altos cargos na área de TI permanecem, em média, 2,6 anos em uma empresa. Essa rotatividade é considerada elevada, já que em outros setores a permanência é de 3,8 anos.

Se você está se perguntando por que isso acontece, saiba que não existe uma única resposta. Na sequência, listamos os principais motivos atrelados às altas porcentagens nesta frente:

1 – Aquecimento do mercado

Sem dúvidas, a crescente procura por profissionais de TI é uma das principais razões para a alta rotatividade de funcionários da área. 

Para se ter uma ideia, a expectativa é de que a procura por profissionais de TI no Brasil chegue a 420 mil pessoas até 2024. Em contrapartida, o país forma apenas 46 mil profissionais com perfil tecnológico por ano.

Como você deve ter notado, essa conta não fecha, né? 

Com mais vagas abertas do que pessoas capacitadas para ocupá-las, é esperado que os profissionais que já estejam empregados recebam diversas propostas de emprego. 

Consequentemente, isso aumenta as chances de eles irem de uma empresa para outra em um curto período de tempo.

 2 – Remuneração e benefícios abaixo do mercado

O salário e os benefícios oferecidos (como plano de saúde e vale alimentação) são dois fatores que pesam muito na hora de o colaborador escolher em qual empresa ele vai trabalhar. 

Com a alta na oferta de vagas em TI, como explicamos acima, é importante que a empresa se preocupe ao menos em oferecer um salário que esteja dentro da média do mercado.

Para ter um norte, é válido acompanhar os valores praticados pelos concorrentes, assim como os demais benefícios que são oferecidos e almejados pelos profissionais.

Justamente pela alta competitividade, é possível encontrar cada vez mais empresas oferecendo benefícios que fogem do tradicional. Esse é o caso das organizações que oferecem bolsa estudo, Gympass, convênio com plataformas de terapia, entre outros.

 3 – Ausência de plano de carreira

A falta de perspectivas de crescimento dentro de uma empresa é um dos principais motivos de desmotivação no trabalho. Consequentemente, isso pode levar os colaboradores a procurarem novas oportunidades.

Colaboradores altamente capacitados e conscientes de seus talentos estão sempre em busca de melhores posições e aumento salarial. Quando percebem que não estão sendo valorizados, eles se abrem a novas propostas do mercado.

4 – Ausência de feedback

Outro motivo que pode desmotivar um colaborador é a ausência de feedback por parte dos seus gestores. 

Aliás, essa é uma verdade que não se aplica apenas aos profissionais de TI. Todo profissional, independente da área, tem interesse em saber como está seu desempenho e os pontos que precisa melhorar.

O momento do feedback também é a oportunidade que os gestores têm de entenderem melhor seu papel, bem como perceber se algo deve ser feito para manter o funcionário engajado e apto para entregar o melhor de si.

5 – Problemas de Comunicação

A ausência de uma comunicação eficiente com os funcionários pode resultar em uma série de problemas, como o não alinhamento das metas, falta de clareza sobre as responsabilidades de cada colaborador, conflitos entre os membros do time, entre outros.

Juntos, esses fatores podem impactar negativamente a motivação dos profissionais, fazendo com que eles se sintam insatisfeitos ou até mesmo esgotados.  

Além disso, uma comunicação ineficiente também impede que o gestor identifique essas insatisfações e pense em ações que as resolvam antes que o problema se torne ainda mais grave.

6 – Falhas no processo de recrutamento

O processo de seleção de um profissional de TI demanda muito planejamento e preparo, já que costuma ser feito por etapas e é preciso não apenas observar a capacitação técnica, mas também o perfil e demais comportamentos do profissional.

O profissional de RH responsável por esse processo precisa conhecer alguns indicadores para contratação de profissionais de TI, além de validar se a cultura da empresa está alinhada com os novos colaboradores.

Quando esses cuidados são negligenciados, há grandes chances de a empresa contratar um profissional que não esteja alinhado aos objetivos do negócio ou à cultura organizacional. E isso, por sua vez, pode resultar em um desligamento precoce.

7 – Falhas de liderança

Um dos papéis do líder é auxiliar os colaboradores para que eles se mantenham motivados e desenvolvam todo o seu potencial. 

Quando um líder falha nesta função, começam a surgir problemas como redução do engajamento e queda significativa na produtividade. 

Tudo isso tem um impacto enorme na empresa e no relacionamento com os funcionários, causando demissões e até mesmo pedidos de desligamento por parte dos colaboradores.

8 – Ambiente de trabalho ruim

Por último, o ambiente de trabalho também é determinante para que os colaboradores queiram ou não continuar em uma empresa.

Reflita: você gostaria de continuar trabalhando em um lugar que não oferece os recursos necessários para que você realize suas atividades, como bons móveis e ferramentas tecnológicas?

Provavelmente, sua resposta é não.

O mesmo vale para empresas que possuem um clima organizacional ruim. Em ambos os casos, é esperado que os profissionais busquem novas oportunidades e peçam demissão sem nem pensar duas vezes quando tiverem a chance.

Como evitar o turnover em TI

Enfim, chegamos ao momento mais aguardado do artigo: aquele em que te mostramos o que você pode fazer para evitar ou reduzir o turnover em TI na sua empresa.

Spoiler: você vai perceber que a retenção de pessoas depende de uma série de ações integradas, que vão desde realizar contratações assertivas e oferecer boas condições de trabalho, até adotar estratégias de engajamento.

1 – Treinamento e qualificação profissional

Você já parou para pensar na velocidade com que as tecnologias evoluem? Não por acaso, a área de TI é uma das que mais exige atualização de seus profissionais.

Por isso, proporcionar aos seus colaboradores treinamentos, atualizações e qualificações pode ser um fator crucial para retê-los e, assim, reduzir o índice de turnover.

Além disso, não podemos esquecer que promover a qualificação dos colaboradores é, na verdade, um investimento: na medida em que eles ganham conhecimento, a empresa também se beneficia por construir uma equipe mais qualificada.

2 – Boas lideranças

Como já dissemos, os líderes possuem um papel muito importante na vida de qualquer profissional. Portanto, trabalhar ao lado de alguém competente, inspirador e carismático pode sim fazer a diferença na retenção de talentos.

Em outras palavras, contar com uma liderança preparada para agir de acordo com a influência que têm sobre a moral das equipes fará toda a diferença para que os colaboradores se mantenham constantemente motivados a estarem ali.

3 – Oportunidades de crescimento

Para reduzir o turnover em TI ou em qualquer outra área é preciso que a organização tenha claro aquilo que poderá oferecer aos seus colaboradores, ou melhor, quais são os planos para esses profissionais.

No geral, empresas que possuem planos de cargos, carreiras e salários bem estruturados, têm melhores chances de reter talentos. 

Afinal, se o colaborador talentoso não tem projeção de carreira dentro da companhia e nem oportunidade de crescimento, o fluxo natural é que ele procure quem lhe ofereça isso, certo?

4 – Benefícios e bonificações

Além das oportunidades de crescimento, os benefícios e bonificações também contam muito a favor da retenção de pessoas – especialmente nas empresas que ainda não conseguem oferecer altos salários.

No caso dos benefícios, eles podem ser tanto de ordem financeira quanto simbólicos. No primeiro caso, podemos citar os planos de saúde com cobertura total, ótimo ticket alimentação/refeição, oferta de planos de academia por conta da empresa, entre outros. 

Já no segundo grupo entram questões como folga no dia do aniversário ou quando bater metas, carga horária flexível, não precisar bater ponto, trabalhar remotamente e por aí vai… 

Existem diversas opções, então vale ser criativo para se diferenciar no mercado!

5 – Clima organizacional

Lembra quando dissemos que um clima organizacional ruim também pode estar por trás das altas taxas de turnover em TI? 

Pois bem: o ambiente profissional é quase como uma segunda casa para a maior parte das pessoas e, portanto, elas querem se sentir bem nesse local. Quando isso não acontece, as consequências não são nada boas…

É por isso que a sua empresa deve estar sempre de olho na satisfação dos colaboradores em relação ao ambiente de trabalho. 

A melhor forma de fazer isso, inclusive, é realizando uma Pesquisa de Clima Organizacional. Além de mensurar o índice de satisfação dos profissionais, essa estratégia pode trazer muito insumo para ações de engajamento.

6 – Constância nos feedbacks 

Em complemento à Pesquisa de Clima Organizacional, fazer o acompanhamento constante dos funcionários por meio de feedback também é uma excelente estratégia quando se visa reduzir o turnover em TI.

Essa comunicação direta entre líder e liderado favorece a construção de relacionamentos mais positivos no trabalho, ajuda a reduzir conflitos e ainda traz insights importantes para a gestão de pessoas.

7 – Processos organizados

Ao contrário do que muitos pensam, o setor de TI das empresas não pode funcionar apenas para “apagar incêndios” ou resolver problemas de última hora.

Quando os funcionários desta área contam com processos organizados e uma rotina voltada para a conquista de resultados, isso reduz e muito o estresse do dia a dia.

Aliás, o setor de TI pode até mesmo ser o principal diferencial de uma empresa. Mas, para que isso aconteça, é preciso que a equipe tenha bem definida as metas propostas e, principalmente, que elas sejam alcançáveis e que se tenha suporte para isso.

8 – Recrutamento assertivo

Um fator extremamente importante e que muitas vezes é esquecido quando se fala em turnover em TI é o processo de recrutamento e seleção (R&S) de profissionais.

Sem dúvidas, uma contratação assertiva aumenta as chances de retenção de talentos. Por isso, cada detalhe do R&S deve ser cuidadosamente pensado e elaborado: a descrição da vaga, as entrevistas de fit cultural, os testes de habilidades, entre outros.

Pode parecer complicado em um primeiro momento, mas a verdade é que, com a tecnologia certa em mãos, essa missão se torna muito mais fácil. 

A plataforma de recrutamento e seleção inteligente da GeekHunter, por exemplo, já ajudou muitas empresas a contratarem profissionais de TI altamente engajados e qualificados (tudo isso numa média de 14 dias).

Além de diminuir o turnover em TI, a solução da Geek também reduz os custos de aquisição profissional.

Considerações finais

Como você viu, existem diversas ações que visam reduzir o turnover em TI e, assim, garantir o crescimento sustentável das organizações.

Quando as empresas olham para esse aspecto com atenção, elas aumentam suas chances de construírem uma força de trabalho de alto desempenho, bem como de continuarem contratando somente os melhores profissionais do mercado. 

Afinal, um grande número de profissionais satisfeitos é sinônimo de uma marca empregadora forte, que se torna um verdadeiro imã de bons talentos. 

Outro ponto importante diz respeito à redução de custos: manter um profissional de qualidade e que está sempre se atualizando é muito mais barato do que abrir novo processo de seleção e treinar um novo colaborador.

Lembre-se: o turnover em TI pode ser extremamente prejudicial para a equipe de tecnologia e também para as organizações que desejam crescer. Para evitar que isso aconteça, não deixe de colocar em prática as dicas que listamos até aqui.

Esperamos que esse artigo tenha sido útil para você. Para continuar aprendendo, assine nossa Newsletter e receba os melhores conteúdos sobre IT Recruiter diretamente na sua caixa de e-mail! 

Compartilhar